sábado, 17 de outubro de 2009

lindo!

Eu adoro filme. Geralmente de qualquer tipo, gênero, nacionalidade... Não é dificil eu gostar de um filme.
Hoje assisti Wall-e. Outro dia Up. Adoro animação. E essas me emocionaram!
Lindos demais!


sexta-feira, 16 de outubro de 2009

pensamentos de quinta

- como é bom encontrar com os amigos, comemorar aniversário de amiga também.

- vontade de mais uma tatuagem, falta dinheiro.

- chega novembro. o final, de preferência.

- chega dezembro, inteiro.

- tenho saudade. muita!

- adoro joaninhas, do GALO mais ainda. hoje vi mais uma.

- raios são lindo, demais. mas tenho um pouco de medo.

- queria ser apresentadora de programa de tv e ganhar dinheiro pra explorar os hotéis mais chiques e os lugares mais bonitos do mundo.

- eu tenho fome. sempre. de coisas boas.

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

quando eu não era criança

Pra celebrar o dia das crianças vou compartilhar uma experiência de vida.
.
Toda criança (ou as mais sapecas) adora subir em árvores. Logo quando papai comprou o sítio, eu tinha uns 7 ou 8 anos, fiz a família toda subir na goiabeira e encenar as historinhas do Chico Bento. Tinha que roubar a goiaba e dizer: "hum... essa goiaba tá bão demais" com sotaque caipira.
Era ótimo passar o recreio da 1a série tentando chegar no galho mais alto da jabuticabeira do pátio da escola.
Minhas pernas cambitinhos viviam roxas e marcadas das estripulias.
.
Mais recentemente, no início do ano passado, fui relembrar com uns amigos os tempos de subir em árvores. Escolhemos uma árvore bem bonita, com o tronco se ramificando em 3 galhos fortes. Cada um subiu em um galho. Lá do alto, eu queria trocar de galho com o Tito, meu amigo. Pensamos se era melhor eu tentar pular pro dele ou descer pra subir de novo. Resolvemos que era melhor descer. Comecei a descer. Quando vi, o chão ainda estava longe e eu estava ralando a lateral do tronco (o meu) no tronco (da árvore). A minha queda foi de uns 2,5m, eu chuto. Minha lateral perdeu uma quantidade considerável de pele e ganhou uma quantidade considerável de farelos de tronco de árvore. Os braços arranhados, as pernas também.
Eu não conseguia enxergar o machucado maior. E ouvia meus amigos me falando: "não... preocupa não que tá tranquilo... você chega em casa e lava com sabão que vai dar tudo certo", e logo que viravam as costas pra mim comentavam entre si: "que isso!!! tá muito machucado... foi feio demais!!".
E foi mesmo. Cheguei em casa, lavei, passei remédios e pomadas cicatrizantes por uns dias e não secava. Foi nojento.
Resolvi ir na farmácia. Mostrei o machucado pra farmacêutica e ela perguntou:
- Nossa!!! Que machucado!! Como que aconteceu??
- Cai de uma árvore.
- Que inusitado, hein!
- Poisé...
.
O machucado sarou depois de uns dias, mas a marca dele ainda tá aqui. A sorte foi que aconteceu do lado esquerdo porque 1 semana antes de subir na árvore, fiz uma gaivota do lado direito e ela teria voado se fosse atingida pela árvore.

feriado

Hoje fui acordada às 9:00 por um vizinho ouvindo "É o tchan".
O feriado promete!

Ainda bem que tenho facilidade em dormir de novo.

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

falar e ouvir

Acho mais fácil falar que ouvir. Não sei se é todo mundo assim, mas acredito que não. Tem gente que não acha nada fácil. Nem ouvir, nem falar. As vezes tento entender essas pessoas. Pra mim é tão natural falar (não só com a boca) que acho que deve ser muito estranho quando não é fácil. Isso pode ser um problema, como dizem vários ditados ("quem fala muito, dá bom dia a cavalo" ou "quem fala o que quer, ouve o que não quer"). Mas pode ser também solução. Tirar um peso de um pensamento ou sentimento que está ali dentro, apertando, e depois de falado sentir o alívio e a leveza. Mas a prudência ensina que as vezes, mesmo quando se tem muito a falar, o melhor é calar mesmo... Pra evitar a fadiga. E olha... eu falo. Muito. E alto. Muito também. E também já ouvi muitas coisas que não queria, mas como ótima ouvinte que sou, digeri.
.
Aqui, esse post (que mania estou nela de justificar meus posts) é só pra falar que eu quero ouvir. Mesmo que não seja o que eu queria ouvir.
.

domingo, 4 de outubro de 2009

cansei.

não entendo.
nem minha mãe.

cansei. mesmo.

achado e roubado


Porque muitas vezes as coisas não são como a gente quer.

roubado daqui que roubou de .

sábado, 3 de outubro de 2009

como nenhuma outra

Minha sexta foi atípica. E ótima!


Primeiro o tempo fechando as 18:00hs, hora de sair do escritório e ir pra casa.


Já tinha planejado não sair hoje. Baixei um filme ("He's not that into you") no início da semana e estava separando um tempo para assistir. Até chamei algumas pessoas pra me acompanharem nesse programinha caseiro de sexta-feira, mas ainda bem não tive sucesso. Me senti mais livre sozinha.


Papai e mamãe foram passar a sexta em Macacos. A casa livre pra festa. Minha festa. Eu.


Saindo do escritório, na portaria, a chuva caia forte. Muita gente no saguão esperando ela melhorar. Eu, como já disse, resolvi virar boi e tomar chuva. O carro estava a uns 3 quarteirões do escritório. O primeiro meio quarteirão, fui correndo. Depois pensei: quem eu quero enganar? eu escolhi tomar chuva ao invés de esperar ela melhorar, não tenho pressa, daqui vou pra casa mesmo. Andei. E fui sentindo a roupa molhando, a água passando pelo tênis e molhando a meia, o cabelo grudando no rosto... a bolsa, de pano, ficando enxarcada. Não tinha pensado nesse detalhe. Mas a essa altura, já não adiantava mais... Lembrei do celular dentro da bolsa. Semana passada já perdi um aparelho que não ligou depois de molhar (isso é pano pra outro post)... Será que ia ser mais um? Relaxei. A calçada vazia. As pessoas nas marquises me olhavam. As ruas viraram cahcoeiras. E eu fui, até o carro. Cheguei lá e obviamente vi que não tinha sido uma boa idéia, já que ia molhar o carro por dentro.


No caminho de casa, me olhei no espelho e meu cabelo molhado sem condicionador estava uma maravilha! Mas eu tava tão leve. Chegando em casa banho quente. Bom.


Depois do banho lanche ótimo: torrada com requeijão, mussarela de búfala e tomate em conserva que é uma maravilha dos deuses.


Filme gravado no dvd, cochilinho antes de começar a ver. Irmã saiu, a casa é minha.


Filme visto, pausa pra pipoca com coca-cola, depois pausa pra cerveja. Fim do filme. Me fez pensar muito, o filme. Sobre mim mesma. Eu por mim mesma. E pelos outros. E realmente, como disse minha amiga Tucha que indicou o filme, me identifiquei um pouquinho com cada personagem. E fiquei com raiva de outros e feliz por outros e com inveja de outros.


Depois do filme, ouvindo Beatles na sala, pensando e refletindo, fui ficando um pouco mais leve sobre minhas preocupações e ansiedade. Resolvi escrever. Na verdade, eu queria mesmo era um jeito de passar meu pensamento em palavras a medida que ele ia acontecendo. Porque quando se escreve, a cabeça não acompanha as mãos e muito se perde...

Mas como nem sempre as coisas são como a gente quer, acabei escrevendo.



E esse post é pra compartilhar meus quilos perdidos nessa sexta que resolvi fazer diferente. Mudando a rotina. Sempre bom.

E parece que alguém influente não queria que eu postasse. Subitamente o texto sumiu por 2xs. Ainda bem que o blogger salva de tempos em tempos.

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

virando boi

Hoje eu resolvi ser boi.
E, olha, aconselho. Senti uma liberdade, uma paz... lavei a alma!
Depois, dentro do carro (que não era de boi), desenhei fogos de artifício com as unhas no vidro embaçado. Feliz.
Estou bem, obrigada.
Aliás, estou ÓTIMA!