sábado, 30 de maio de 2009

compras

Há um tempo sou responsável pelo supermercado da casa. Uma tarefa chata, cansativa, mas que tem que ser feita. Às vezes até me divirto. Quando já estou lá não acho de todo mal. Mas a preguiça... Sair de casa, pegar o carro, chegar no supermercado, pegar o carrinho, encher, tirar as compras, passar no caixa, colocar no carrinho de novo, tirar do carrinho de novo, colocar no carro, chegar em casa, tirar do carro, colocar no carrinho mais uma vez, pegar o elevador, tirar do carrinho mais uma vez, colocar nos armários, descer com o carrinho de volta pra garagem.... cansa! E como! Mas enfim...

Hoje foi dia. Chegando em casa com as compras, minha irmã me ajudou no processo de guardar as compras.

- Ana, o papel higiênico você colocou aqui na cozinha com algum propósito específico?
- Ah!!! Achei que era papel toalha...

Na hora foi bem mais engraçado que escrevendo aqui. Pode ter certeza!

quarta-feira, 27 de maio de 2009

terça-feira, 26 de maio de 2009

entre fatos e fotos

Ontem achei também essa foto da minha mãe, tirada pelo meu pai. Ele sempre foi fotógrafo. Tinha máquinas fotográficas especiais e fazia ele próprio revelações e ampliações. Todos já foram modelos pra ele. Em caixas e mais caixas, fotos dos meus primos (que hoje já são pais) quando crianças, das primas debutantes, das filhas em todas as fases. E em tantas caixas, pequenos fragmentos de histórias e memórias. E em tantos fatos, ela está na maioria. Minha mãe. Linda, jovem, apaixonada de um lado. E do outro, meu pai. Lindo, jovem, apaixonado, fotógrafo. Ainda hoje estão lindos e apaixonados. Não mais fotógrafo, não mais tão jovens.

domingo, 24 de maio de 2009

o que eu gosto II

continuando o que eu gosto...
Ver fotos. Principalmente antigas. Fotos dos meus pais quando tinham a minha idade, da minha vó quando era criança, das minha irmãs quando eu nem existia, de mim... Enfim, fotos! Fotos bonitas de saber o contexto, bonitas de se ver, bonitas por si só.
Escaneando coisas pro tfg, achei na pasta de digitalizações uma porção dessas fotos e fiquei namorando...
Namorando a elegância das minhas tias com cabelos escovados a la "charlie's angels", as roupas brilhosas, o charme do papai de cabelos grandes e da mamãe casando de turbante, a simplicidade do vestido da noiva, a moda das calças boca-de-sino com plataforma, os cabelinhos de cuia das crianças, o sapatinho boneca com meia branca até o joelho, a seriedade do vovô, a alegria do papai e da mamãe casando tão jovens, enfim, a família linda que eu tenho!

sexta-feira, 22 de maio de 2009

o que eu gosto

Apesar de muitas vezes ter preguiça do cad, eu A-D-O-R-O arrumar arquivos bagunçados. Perderia horas "perpendiculando" as linhas que estão milimetricamente desalinhadas, ajeitando medidas com 3 casas decimais, acabando com layers semelhantes (tipo 2, 02, p02, arq02...) e depois de fazer todo o desenho ficar retinho, com 1 layer 02 e medidas redondas, dou um super purge. Várias vezes até!

o que eu quero

mergulhar de cabeça sem molhar os pés pra sentir a água

quinta-feira, 21 de maio de 2009

ponto de vista

"Há coisas que a gente não nota porque são muito pequenas para serem vistas. Mas há outras que a gente não vê porque são imensas."

Lido aqui.

quarta-feira, 20 de maio de 2009

o que não gosto - II e meio

Ou: variações do mesmo tema "o que não gosto"
Não gosto de falar sozinha com os outros. Na verdade, não gosto que os outros sejam momentaneamente surdos. Principalmente quando a surdez é seletiva e consciente.
Mas mudez seletiva e consciente aprendi a valorizar! Talvez porque preciso de trabalhar isso em mim (essa última frase, em homenagem à minha mãe. ela fala bem assim). Aprender a ficar quieto é bom. Mas as vezes, mesmo quando não precisamos, escolhemos nos calar. Da personalidade mesmo. Não porque não valeria a pena falar, mas simplesmente porque não é.



esse post tem destino certo. e não é único.

variações do mesmo tema

Acho o outro que coloquei aqui há um tempo mais legal.
Tenho que ir pra Europa. Só lá acontecem essas coisas. Sonho de estar no metrô nessas horas bacanas.

segunda-feira, 18 de maio de 2009

o que não gosto II

Distorcer as coisas.
Odeio quem distorce um fato.

o que não gosto

Falar sozinha.
Odeio.
Na verdade, até falo sozinha. Mas eu não gosto quando falo sozinha com alguém, entende?! Falar sozinha comigo mesma é ótimo. Tenho mania de fazer isso enquanto dirijo. E não é pensar não, é conversar mesmo. Mas conversar sozinha com os outros é péssimo. Irrita. Angustia.

memórias de criança

Ainda não sei direito o motivo exato de colocar essas fotos de quando criança aqui. Obviamente pra compartilhar, mas no fundo tem algum motivo que vou descobrindo. Talvez seja um desejo de, no fundo no fundo, voltar a ser criança. Uma saudade de ter que acordar pra ver desenho ou brincar. Ir pra escolinha com o lanche do dia separado na merendeira e o tênis vermelhinho apelidado de Cascão. Chegar da aula e correr pra área de serviço pra tirar a praia que levava no pé depois do dia. Tomar o leite com nescau e muito (mas muito) açucar. Bem doce. Melado. E quando tinha queijo provolone era ótimo o contraste do doce do leite e o salgado do queijo.
Mas se parar pra pensar bem, continuava tendo minhas dificuldades e complicações de criança. Hoje, é a não vontade de fazer o tfg. Na época, era a dificuldade com os para-casas (há quanto tempo não via ou escrevia essa palavra antigamente tão corriqueira!). As manhãs eram bem mais divertidas vendo tv e depois indo pro clube. Lembro como se fosse ontem das minhas neuras com minhas pernas finas e com os meninos da escola que me enchiam a paciência. Na hora do recreio certa vez, um deles quase me enforcou. Tinha uma "brincadeira" de perseguição. Meninas perseguiam meninos e depois trocava. Não era pega-pega. Era um pouco diferente. Mas não esqueço o dia que um menino pegou uma corda, daquelas todas esfarrapadas, e tentava laçar as meninas. Fui laçada bem no meio da minha corrida. Obviamente, caí. E a corda marcou meu pescoço. Vi que aquela brincadeira já não era mais pra mim. Com o pescoço ralado, lágrima nos olhos e raiva no peito, parei de brincar. A vontade era de socar o menino joselito sem-noção. Mas deixei quieto, fui no banheiro, passei água no ralado e pronto. Depois, não brinquei mais.
E o machucado sarou. Assim como a neura da perna fina que passou, os para-casas que foram feitos, o leite que não continuou doce e o Cascão que foi lavado.

domingo, 17 de maio de 2009

o que eu quero

tem coisas pequenas que me deixam feliz. fazem bem pra alma. as vezes, uma palavra dita ou não dita. um abraço sem precisar falar nada, um bom dia acompanhado de um sorriso, um sorriso no olhar... ou melhor, um sorriso da forma que for e acompanhando o que for. porque sorrir abre portas pra vida e pras pessoas. pra dentro delas. aproxima os corações e mostram o que realmente é importante. sorrisos sinceros. e um sorriso falso não é dificil de ser notado. porque o sincero é tão diferente, natural, feliz! que o falso acaba sendo outra categoria de coisa.
quero sempre sorrisos. sinceramente. meus e dos outros.
na foto: lu menininha, menina sapeca ainda, com 6 anos
título inicial do post: coisas pequenas

sábado, 16 de maio de 2009

sexta-feira, 15 de maio de 2009

das antigas

apresento à vocês, meu amigo imaginário. me divertia às pampas com ele.

na foto: eu, ele, prima fernanda, prima flavinha, irmã lara e irmã ana (que também tinha um amigo imaginário mas bem mais magrinho e bem menos legal)

e a seguir...

...cenas do capítulo anterior

pessoas loucas

vermelho
vermelhor
ver melhor


quarta-feira, 13 de maio de 2009

muito estranho

como sentir saudades de paris sem nunca ter conhecido, só de fotos.

...

entre praia, areia, ondas, mar, águas profundas, galhos, árvores, raízes... ficamos na areia.

engraçado... o fim do que não foi, exatamente pra não ser.

e o óleo acabou

terça-feira, 12 de maio de 2009

quinta-feira, 7 de maio de 2009

domingo, 3 de maio de 2009

coisas bacanas

adoro quando me deparo com coisas bonitas aos meus olhos
no mundo virtual e no real