sábado, 26 de dezembro de 2009

balanço geral de final de ano

Esse ano aconteceram muitas coisas. Principalmente no primeiro semestre. Daria pra ter um ano dentro de um semestre. Eu diria até que em um trimestre. O primeiro. Meu pai descobriu uma doença, minha vó faleceu. Meu amigo, um dos melhores, foi de intercâmbio encontrar outro que já estava lá. Arrumei confusões na cabeça e conheci um pouco mais de mim. Cresci. Cresci muito com tudo isso e amadureci meus sentimentos com relação aos outros e a mim.
Senti. Saudades, alegrias muitas, tristezas também. Ansiedade, tensão com trabalhos finais de faculdade e raiva. Medo. Tive medo de crescer e acabei continuando pequena por mais um semestre.
Fiz muita festa, aproveitei meus finais de semana com muitos sonhos e músicas. Comi muitos temakis e passei muito calor. Viajei. Vi praia, cachoeira, montanha, prédio, cidade histórica. Trabalhei muito. Trabalhos diversos. Participei, mesmo que sendo pequenininha, da campanha das Olimpíadas no Rio. Isso foi bacana.
Torci, sofri, acreditei. Sempre! Gritei e fiquei rouca. Várias vezes. Vi trem, boneca inflável, sino gigante, chuva de papel picado e fogos de artifício junto com 70mil pessoas de chifrinhos brilhantes. Andei muito até doer as pernas, com a bexiga mais cheia do que deveria.
Tive muitas conversas produtivas com muitos amigos, o que me permitiu conhecer mais um pouco deles e amar ainda mais. E também me senti amada por eles!
Conheci pessoas bacanas e re-conheci outras. Vi o dia nascer e se acabar em belos pores-do-sol. Cumpri metas e adiei algumas. Virei arquiteta de cabelo curto.

Meu ano de 2009 foi um ano completo, complexo. Grandes emoções, fortes impactos, positivos e negativos. No final das contas, o balanço geral é positivo. Vovó descansou, papai está ótimo, eu sou arquiteta, tenho ótimos amigos companheiros e conselheiros e estou pronta para mais um ano conturbado ou não, na esperança de um balanço positivo ao final!

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

se não fosse arquitetura, seria com certeza publicidade

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

relatividade

Hoje é quarta-feira que deveria ser domingo porque segunda teve cara de sexta. Mas hoje é segunda, porque ontem foi domingo.

sábado, 5 de dezembro de 2009

mimada

Hoje minha mãe foi tirar dinheiro no banco pra minha vó.
Quando ela me falou, não vi nada de errado.
Chegamos na porta do banco e meu pai disse: quer que eu vá com você?
E ela respondeu: ah... fica no carro. Lu, vão comigo? Posso precisar de ajuda. NUNCA tirei dinheiro no banco.
Meu pai é muito cuidadoso e organizado. Lembro quando ele viajava a trabalho e deixava o dinheiro pra pagar as contas separado, preso com clips e com um papel com a data pra pagar e o que era. O dinheiro do ônibus da empregada, da faxineira, do lanche, do que fosse.
E uma das coisas que ele sempre fez foi cuidar da carteira da mamãe. Recolher dinheiro, colocar dinheiro. Então, minha mãe nunca entrou num banco pra tirar dinheiro no caixa eletrônico, até hoje. E tecnicamente ela não tirou. Eu tive que fazer porque ela demorava pra procurar as letrinhas da senha na tela e o tempo ia expirar.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

hoje

hoje senti que quero muito morar em uma casa. com quintal pra ver as estrelas e as nuvens. ou então onde a calçada seja tranquila pra sentar na escada e ver o tempo passar. se tiver um mini parado na porta, nem precisa ser meu, vou achar mais lindo ainda. saudades de albany, onde tinha a escada e o mini. tinha quintal também, mas era inabitável. no verão podia até ser que tivesse uma graminha, mas não fiquei pra ver.


mudando de assunto, gostei disso:

vi aqui.

mudando novamente, quero mesmo mais uma tatuagem!

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

achados e roubados

"Success is getting what you want; happiness is wanting what you get."

daqui

terça-feira, 10 de novembro de 2009

eu nem apostei, ainda

"...é como sacudir uma moeda pra cima, e ver ela caindo sempre do mesmo lado.
como apostar numa roleta viciada, que toda vez pára no mesmo número.

como um baralho de cartas marcadas..."

dominó gigante

parilhando coisas bacanas:

dominó gigante: celebração dos 20 anos da queda do muro de berlim
simbólico, bonito, criativo.

terça-feira, 3 de novembro de 2009

semana

minha semana foi ótima.
- comecei a aula de bateria
- cortei o cabelo
- encontrei amigos
- conversas ótimas
- companhias ótimas
- músicas boas
- arco-íris da janela do escritório no fim da tarde (isso acontece quase td dia! amo!)
- feriado
- novembro chegou!

sábado, 17 de outubro de 2009

lindo!

Eu adoro filme. Geralmente de qualquer tipo, gênero, nacionalidade... Não é dificil eu gostar de um filme.
Hoje assisti Wall-e. Outro dia Up. Adoro animação. E essas me emocionaram!
Lindos demais!


sexta-feira, 16 de outubro de 2009

pensamentos de quinta

- como é bom encontrar com os amigos, comemorar aniversário de amiga também.

- vontade de mais uma tatuagem, falta dinheiro.

- chega novembro. o final, de preferência.

- chega dezembro, inteiro.

- tenho saudade. muita!

- adoro joaninhas, do GALO mais ainda. hoje vi mais uma.

- raios são lindo, demais. mas tenho um pouco de medo.

- queria ser apresentadora de programa de tv e ganhar dinheiro pra explorar os hotéis mais chiques e os lugares mais bonitos do mundo.

- eu tenho fome. sempre. de coisas boas.

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

quando eu não era criança

Pra celebrar o dia das crianças vou compartilhar uma experiência de vida.
.
Toda criança (ou as mais sapecas) adora subir em árvores. Logo quando papai comprou o sítio, eu tinha uns 7 ou 8 anos, fiz a família toda subir na goiabeira e encenar as historinhas do Chico Bento. Tinha que roubar a goiaba e dizer: "hum... essa goiaba tá bão demais" com sotaque caipira.
Era ótimo passar o recreio da 1a série tentando chegar no galho mais alto da jabuticabeira do pátio da escola.
Minhas pernas cambitinhos viviam roxas e marcadas das estripulias.
.
Mais recentemente, no início do ano passado, fui relembrar com uns amigos os tempos de subir em árvores. Escolhemos uma árvore bem bonita, com o tronco se ramificando em 3 galhos fortes. Cada um subiu em um galho. Lá do alto, eu queria trocar de galho com o Tito, meu amigo. Pensamos se era melhor eu tentar pular pro dele ou descer pra subir de novo. Resolvemos que era melhor descer. Comecei a descer. Quando vi, o chão ainda estava longe e eu estava ralando a lateral do tronco (o meu) no tronco (da árvore). A minha queda foi de uns 2,5m, eu chuto. Minha lateral perdeu uma quantidade considerável de pele e ganhou uma quantidade considerável de farelos de tronco de árvore. Os braços arranhados, as pernas também.
Eu não conseguia enxergar o machucado maior. E ouvia meus amigos me falando: "não... preocupa não que tá tranquilo... você chega em casa e lava com sabão que vai dar tudo certo", e logo que viravam as costas pra mim comentavam entre si: "que isso!!! tá muito machucado... foi feio demais!!".
E foi mesmo. Cheguei em casa, lavei, passei remédios e pomadas cicatrizantes por uns dias e não secava. Foi nojento.
Resolvi ir na farmácia. Mostrei o machucado pra farmacêutica e ela perguntou:
- Nossa!!! Que machucado!! Como que aconteceu??
- Cai de uma árvore.
- Que inusitado, hein!
- Poisé...
.
O machucado sarou depois de uns dias, mas a marca dele ainda tá aqui. A sorte foi que aconteceu do lado esquerdo porque 1 semana antes de subir na árvore, fiz uma gaivota do lado direito e ela teria voado se fosse atingida pela árvore.

feriado

Hoje fui acordada às 9:00 por um vizinho ouvindo "É o tchan".
O feriado promete!

Ainda bem que tenho facilidade em dormir de novo.

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

falar e ouvir

Acho mais fácil falar que ouvir. Não sei se é todo mundo assim, mas acredito que não. Tem gente que não acha nada fácil. Nem ouvir, nem falar. As vezes tento entender essas pessoas. Pra mim é tão natural falar (não só com a boca) que acho que deve ser muito estranho quando não é fácil. Isso pode ser um problema, como dizem vários ditados ("quem fala muito, dá bom dia a cavalo" ou "quem fala o que quer, ouve o que não quer"). Mas pode ser também solução. Tirar um peso de um pensamento ou sentimento que está ali dentro, apertando, e depois de falado sentir o alívio e a leveza. Mas a prudência ensina que as vezes, mesmo quando se tem muito a falar, o melhor é calar mesmo... Pra evitar a fadiga. E olha... eu falo. Muito. E alto. Muito também. E também já ouvi muitas coisas que não queria, mas como ótima ouvinte que sou, digeri.
.
Aqui, esse post (que mania estou nela de justificar meus posts) é só pra falar que eu quero ouvir. Mesmo que não seja o que eu queria ouvir.
.

domingo, 4 de outubro de 2009

cansei.

não entendo.
nem minha mãe.

cansei. mesmo.

achado e roubado


Porque muitas vezes as coisas não são como a gente quer.

roubado daqui que roubou de .

sábado, 3 de outubro de 2009

como nenhuma outra

Minha sexta foi atípica. E ótima!


Primeiro o tempo fechando as 18:00hs, hora de sair do escritório e ir pra casa.


Já tinha planejado não sair hoje. Baixei um filme ("He's not that into you") no início da semana e estava separando um tempo para assistir. Até chamei algumas pessoas pra me acompanharem nesse programinha caseiro de sexta-feira, mas ainda bem não tive sucesso. Me senti mais livre sozinha.


Papai e mamãe foram passar a sexta em Macacos. A casa livre pra festa. Minha festa. Eu.


Saindo do escritório, na portaria, a chuva caia forte. Muita gente no saguão esperando ela melhorar. Eu, como já disse, resolvi virar boi e tomar chuva. O carro estava a uns 3 quarteirões do escritório. O primeiro meio quarteirão, fui correndo. Depois pensei: quem eu quero enganar? eu escolhi tomar chuva ao invés de esperar ela melhorar, não tenho pressa, daqui vou pra casa mesmo. Andei. E fui sentindo a roupa molhando, a água passando pelo tênis e molhando a meia, o cabelo grudando no rosto... a bolsa, de pano, ficando enxarcada. Não tinha pensado nesse detalhe. Mas a essa altura, já não adiantava mais... Lembrei do celular dentro da bolsa. Semana passada já perdi um aparelho que não ligou depois de molhar (isso é pano pra outro post)... Será que ia ser mais um? Relaxei. A calçada vazia. As pessoas nas marquises me olhavam. As ruas viraram cahcoeiras. E eu fui, até o carro. Cheguei lá e obviamente vi que não tinha sido uma boa idéia, já que ia molhar o carro por dentro.


No caminho de casa, me olhei no espelho e meu cabelo molhado sem condicionador estava uma maravilha! Mas eu tava tão leve. Chegando em casa banho quente. Bom.


Depois do banho lanche ótimo: torrada com requeijão, mussarela de búfala e tomate em conserva que é uma maravilha dos deuses.


Filme gravado no dvd, cochilinho antes de começar a ver. Irmã saiu, a casa é minha.


Filme visto, pausa pra pipoca com coca-cola, depois pausa pra cerveja. Fim do filme. Me fez pensar muito, o filme. Sobre mim mesma. Eu por mim mesma. E pelos outros. E realmente, como disse minha amiga Tucha que indicou o filme, me identifiquei um pouquinho com cada personagem. E fiquei com raiva de outros e feliz por outros e com inveja de outros.


Depois do filme, ouvindo Beatles na sala, pensando e refletindo, fui ficando um pouco mais leve sobre minhas preocupações e ansiedade. Resolvi escrever. Na verdade, eu queria mesmo era um jeito de passar meu pensamento em palavras a medida que ele ia acontecendo. Porque quando se escreve, a cabeça não acompanha as mãos e muito se perde...

Mas como nem sempre as coisas são como a gente quer, acabei escrevendo.



E esse post é pra compartilhar meus quilos perdidos nessa sexta que resolvi fazer diferente. Mudando a rotina. Sempre bom.

E parece que alguém influente não queria que eu postasse. Subitamente o texto sumiu por 2xs. Ainda bem que o blogger salva de tempos em tempos.

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

virando boi

Hoje eu resolvi ser boi.
E, olha, aconselho. Senti uma liberdade, uma paz... lavei a alma!
Depois, dentro do carro (que não era de boi), desenhei fogos de artifício com as unhas no vidro embaçado. Feliz.
Estou bem, obrigada.
Aliás, estou ÓTIMA!

terça-feira, 22 de setembro de 2009

resoluções pra sair da rotina

Ultimamente ando meio preguicenta (?) de fazer as mesmas coisas, com as mesmas pessoas, do mesmo jeito. Quero mais, ir além. E pra isso, fiz algumas resoluções de fim de rotina.
São algumas delas:

- começar aula de bateria
- viajar mais
- economizar mais
- comer menos fora de casa, mas comer bem sempre
- mandar fazer jogos americanos (daqueles de colocar na mesa) com desenhos da minha vó pra juntar dinheiro e ir pra europa
- acordar antes das 9:00 nos dias de semana que não tenho aula
- fazer o que eu tenho vontade e planejo, independente de companhia

Essa última é porque quinta agora tem um show na Obra, de uma banda que é ótima e eu estou com muita vontade de ir. A banda é a "The dead lovers twisted heart". Eu adoro, e recomendo. Ah, quem toca bateria é uma menina.

E agora, esse vídeo que minha irmã me mostrou outro dia. Eu amei. É desses que dá vontade de tá vivendo exatamente isso. E posto hoje aqui, roubando daqui, porque me dá vontade de tocar bateria, viajar mais, aproveitar os dias pela manhã, e ir no show do dead lovers, que me lembra muito little joy.

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Amour

Como já disse por ali, no meu mundo cor-de-rosa tudo acaba bem.
.
E eu sonho.
Muito.
.
E planejo.
Muito.
.
E anseio.
Muito.
.
E também sofro. Mas tento que não seja muito.
.
E me entrego, aos meus sentimentos equivocados e de menina, ou menininha (que é ainda menor). E mesmo quando não equivocados, não me podo também.
.
E a cada dia me apaixono mais. E depois menos. E depois mais de novo, pra logo vir o menos. E depois, já nem sei mais. Ou sei, mas deixo quieto.
Mas me apaixono mesmo todo dia é
aqui. E depois não vem o menos.
.
E, falando em amour, pela música apaixonante, paisagem estonteante e casal invejante...
.

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Orgulho

" Não, eu não gosto de mim,
Eu apenas me tolero:
Fui feito por Deus assim,
Não sou assim porque quero."

Soares da Cunha
.

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

dentista

Eu vim com um defeito de fábrica. Nasci com uma doença em alguns dentes que deixam eles sem esmalte. Nunca soube exatamente o que é o esmalte do dente nem pra que serve. Só sei que meus dentes sem esmalte são manchados e sensíveis.
Por conta disso, quando eu ainda era bem pequena, tinha que ir visitar a Vanessa (dentista) a cada 2 meses. Ela fez um super tratamento nos meus dentes e eles sobreviveram muito bem até hoje.
.
Lembro direitinho de partilhar esse problema com meu tio Dudu e ele sempre muito egraçadinho me oferecer o esmalte da tia Samira. Lembro também de adorar aquela pasta sabor morango ou tutti-frutti que tinha lá na Vanessa e da borracha que ela colocava no dente depois de passar o fluor.
Tive um episódio muito engraçado quando tinha uns 6 anos. Meu pai foi me levar na Vanessa depois da aula. Ela ia fazer algum tratamento que precisava de anestesia. Eu aprontei um escândalo, chorei, gritei, dei o maior chilique quando vi a agulha. Quando terminou, meu pai, que estava na sala de espera, me perguntou se ela tinha me batido muito. Até hoje quando vou lá rimos disso.
.
Esses dias voltei lá de novo. A doença estava espalhando e saindo de 2 dentes dos problemáticos. Tive que tirar o pedaço doente e colocar resina. Fiz o primeiro há 3 semanas. Depois fui ligar pra marcar o retorno pra fazer o segundo.
A intimidade da secretária dela me deixou irritada. Foi assim:
.
- Boa tarde! Estou ligando pra marcar um horário com a Dra. Vanessa.
- Pois não. Quem fala?
- É Luisa.
- Ooooi Luuuu! Vamos marcar pra você. Melhor de manhã ou de tarde?
- No final da tarde, se possível.
- Ah tah... Olha, Lu, tem o horário de 17:30 dia 09/09. Pode ser?
- Pode.
- Então tá marcado Lulu.
.
Quem deixou ela ficar me chamando de Lu e Lulu?? A Vanessa me chama de Lu, mas ela me conhece desde quando eu nasci! E a secretária tá lá tem uns 3 meses.
Enfim, superei.
.
Outra coisa que aconteceu foi que eu errei o dia e apareci lá as 17:30 do dia 02/09. Cheguei lá e a secretária amigona veio me dar oi.
- Ei Luuuu! Tá boa??? Uai! Que que você tá fazendo aqui?
- Uai! Tô marcada 17:30.
- Ahm... mas é hoje?
- É. Quarta-feira, 17:30.
- Acho que não... Vou pegar a agenda pra conferir.
- Tá. (olhando na agenda do celular onde anoto tudo)
- Hoje na agenda não tem você não...
- É... olha semana que vem, dia 09/09. Eu adiantei uma semana.
.
Realmente era no dia 09/09. Acho que quando liguei pra marcar fiquei tão neurada com a mulher me chamando de Lulu que acabei registrando mentalmente a data errada.

terça-feira, 8 de setembro de 2009

feriado

adoro lua.
e sol nascendo.

e quem conta um conto, aumenta um pouquinho.

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

eu pelos outros

Segue uma teoria desenvolvida pelo meu amigo Duboi sobre meu atraso (apesar de me difamar, eu gostei!):

Cálculo para descobrir a hora que lu menininha sai de casa
Fórmula geral:

.......(HC)
HCL=∑
.......(µLm)

HCL= hora de chegada da Lu menininha
HC= hora combinada
µLm = coeficiente Lu menininha


Cálculo do coeficiente lu menininha

(µLm) =30min. + ∆di

30 min= atraso básico da garota
∆di= variação de atraso baseado em horário do dia

Tabela de ∆di
:

7:00 à 9:00 - ∆di= 60 minutos (dados coletados durante aulas de projeto e urbanismo)
9:00 à 18:00 - ∆di= 30 min.
18:00 à 12:00 - ∆di = 90min
12:00 à 6:59 - ∆di= 80 min

Obs: O valor da ∆di=0 quando vc a chama pra ir pra OBRA

Exemplo de cálculo


Hj a Lú falou que chega as 19:15 no via

HC=19:15

19:15 +(µLm)= HCL

µLm= 30 min + 90 min= 120min= 2hs

19:15 + 2hs =HCL
HCL= 21:15

Resposta: A lu vai chegar as 9 e quinze da noite.

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Ele é um doce!

- Pai, to saindo do escritório. Tem lanche?
- Fiz uma pizza de calabresa, mas você não come. Pode comprar alguma coisa.
- Ah. Eu como a tortinha do almoço.
- Tá. Mas se você quiser passar no Verdemar e comprar uma lata de doce de leite Viçosa pode, viu?!
- Tá bom. Daqui a pouco tô em casa.


Ouvi dizer uma vez que quando o homem come muito doce tem tendência a ter filha. Não é a toa que meu pai teve três!

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

memória de música

Esse final de semana estava pensando em música. Músicas e pessoas e momentos. E diferenças. E lembranças. Assim como já falei aqui da memória de cheiros, falo agora da memória de músicas. Agora, enquanto escrevo, me pergunto se já falei disso aqui. Enfim... as épocas da minha vida, os acontecimentos, as pessoas que conheci, as pessoas que já conhecia, as que eu achava que conhecia, as viagens, os amigos, os amores, as risadas, os choros, tudo!, tem uma música. Ou várias.

- Los hermanos é do início da faculdade.
- Brighter than Sunshine e a trilha de "A Lot like Love" me leva de Albany pra NYC, e chegando lá Lenine canta só, sozinho.
- Chora me liga, é tucha. e dores.
- Toca Revolution é borel.
- Fool on the hill é triste.
- I will é fofa.
- You really got a hold on me é marcão.
- Let it be é velha.
- Beatles são vários momentos, várias pessoas.
- Little Joy é janeiro.
- John Mayer e Dave Matthews é Equipe Amor.
- Led é a pantera loira. Melhor, o ogro loiro. Que também é She & Him, MGMT, Wolfmother e muitos outros.
- Blackbird é Tranquilize do The Killers, que é o gigante, ou pantera morena. E como esquecer de Bon Jovi!
- Red Hot é o bolha, da equipe amor.
- "A menina dança" em Cold Cable ao som de "urubu tá com raiva do boi".
- TFG é isso.
- TFG + deds + kelly + marcão + duboi = opera
- E opera + calor (muuuito calor) + vodka + energético = OBRA
E obra é obra!

E minha memória é ativada quando ouço a música. Por isso essa lista está muito incompleta.

sábado, 15 de agosto de 2009

google louco

Alguem achou meu blog googleando "loucas e lindas nuas".
Acho que a pessoa ficou um pouco decepcionada com a primeira opção de site que apareceu.

bola de cristal

Já falei aqui que sou ansiosa?
Pois é. Eu sou ansiosa.

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

praia

as vezes é bom molhar os pés.
pra sentir a água.

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

descobertas

A mãe da Mônica (aquela baixinha, gorducha e dentuça) chama-se Dona Luisa. Com "s".
.
Meu splash Victoria's Secret Love Spell é de flor de laranjeira. Assim como o sabonete líquido do escritório.

amigos, pra que?

Hoje numa conversa próxima com o amigo distante, ele me disse:
.
"porra lu vc nao precisa d amigos vc tirou uma conclusao perfeita"
.
Isso tudo porque eu falei com ele o que concluí dos meus sentimentos e pensamentos misturados.
E como já disse aqui, tem coisas que estão tão na cara e a gente nem vê. Ou então vemos e depois desvemos. E meus amigos, eu escolho bem, sempre me falam essas coisas que eu penso que vejo e depois vejo de novo diferente.
.
E por isso que eu digo e repito: eu preciso de amigos sim! Todos eles!
.
p.s - nunca consigo arrumar os parágrafos dos posts como quero!

compartilhando coisas divertidas

Fico perambulando entre sites e blogs e sempre acho umas coisas bacanas pra compartilhar. Aí fiz no meu favoritos uma pasta "Blog" pra eu ir postando aos poucos as coisas. Hoje resolvi postar uns vídeos.









segunda-feira, 10 de agosto de 2009

coisas que queria ouvir

Rápida e Rasteira:

- Escuta: a música do nosso primeiro beijo…

- É linda… Mas eu nem te conheço.

- Calma. A música não acabou.

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

amor


Eu amo. E é engraçado relembrar que já odiei. Tá. Obviamente é mentira porque é impossível odiar. Mas já tive dificuldades imensas em conviver, pode-se dizer. O que é normal e compreensível entre irmãos. Já ouvi muito, falei pouco. Ouvi pouco, sabendo que era muito. E outro dia conversando sobre, vi que as fases da vida vão se cruzando e as distâncias diminuindo. E o amor, aumentando. Aí, com saudades, fui lembrando de coisas boas que ficam. Lembrei de quando era hora de deitar e começava uma brincadeira de jogar ursinhos de pelúcia pela janelinha entre as camas. Lembrei de quando eu queria brincar de barbie, mas era pequena. De quando queria dormir na mesma cama. E quando invetou a "nuvem" com todos os travesseiros, almofadas, colchões e edredons da casa. E numa aula onde era a professora me ensinou porque o céu é azul. E aprendi as primeiras palavras em inglês com uma musiquinha que até coreografia tinha. E quando eu fiquei com raiva (mais provavelmente ciúmes), rabisquei a foto da cabeceira.
Hoje, recorro sempre. E aprendi muito mais do que a cor do céu.
E lendo ela, senti um orgulho imenso e uma vontade de apertar! Amor demais!

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

quinta-feira, 30 de julho de 2009

ai que meda!

Continuando com "minhas características marcantes", falo agora da minha insegurança.
Sou uma pessoa corajosa, enfrento muitas coisas, me aventuro mesmo, pulo de cabeça. Mas é inevitável aquele frio na barriga, aquele medo de começar uma coisa nova, aquela insegurança de se vou dar conta do recado.

No meu último estágio em um escritório de arquitetura, no primeiro dia me mandaram detalhar esquadrias. Eu nunca tinha feito detalhamento algum, meus cads eram super básicos e eu não tinha idéia do que seria detalhar uma esquadria. Antes mesmo de entrar lá, eu já tava com medo por achar que meu desenho técnico era fraco. E quando eu chego já me pedem detalhamento! Pirei!! E aí fiquei com muito medo do que estaria por vir, se eu ia conseguir fazer, se ia ficar bom, que que o chefe ia achar... Enfim, a insegurança me consumiu.

Na vida eu sou assim, apesar de muitas vezes não parecer. Quando fui saltar de paraquedas, o frio na barriga era gelado. Lá do alto pensava comigo mesma: Será que ainda dá tempo de desistir? Se eu não saltar vou ter que pagar do mesmo jeito porque o avião já subiu e ainda vou ficar com fama de medrosa. Nossa! Mas é muito alto. Ai meu deus!!!
Mas saltei e foi uma das experiências mais incríveis que já tive! E aconselho!

Poderia ficar aqui horas citando situações de insegurança monstra, mas melhor poupar.
Esse medo da vida, das coisas, das pessoas, já melhorou muito. E estou progredindo nesse aspecto. Ou não. Ai que medo!

terça-feira, 28 de julho de 2009

a curiosidade matou o gato

Já contei aqui que tenho uma característica muito marcante que é a curiosidade. Que sou uma pessoa muito curiosa com tudo, quero saber de tudo, de todos e porque.
Então, esses dias, mais precisamente desde domingo, to com uma curiosidade gigante. Quem lê meu blog? Quem lê mais que eu mesma?

segunda-feira, 27 de julho de 2009

i like what i do

Vídeo muito muito muito bacana de uma fachada com projeções.

555 KUBIK facade projection from urbanscreen on Vimeo.

domingo, 26 de julho de 2009

bacana II

Já vi algumas vezes o programa 15 minutos da MTV e me divirto muito.
Entrei no youtube e resolvi ver a página inicial onde mostra os vídeos mais assistidos.
Aí vi a entrevista do Marcelo Adnet no Jô. Me diverti muito!
Essa aí é a primeira parte. São 4.

bacana

Porque eu adoro pessoas criativas e intervenções no dia-a-dia dos outros.

sábado, 25 de julho de 2009

Filho,

Seu nascimento foi difícil. Muito. Foi sofrido, doloroso. Eu não queria me dedicar a você. Sabia que era necessário, que seu crescimento só dependia de mim e que eu tinha mesmo que aceitar esse fardo. Quando percebi, já tinha passado a hora de você vir ao mundo. E só dependia de mim, mas eu não queria. Não por não gostar do seu nome, nem do seu jeito... ainda não sei direito o porquê. Mas quando eu ia te vendo aos poucos, parte por parte, detalhe por detalhe, eu ia me apaixonando. E aí você me tomou boas semanas de dedicação total. E ficou lindo! Lindo! Lindo! Mas como toda mãe, sou coruja. E como todo filho, as pessoas julgam... E como toda mãe, eu falhei mais uma vez quando fui te mostrar ao mundo. E o mundo viu seus defeitos e falhas porque eu não consegui destacar todas as suas qualidades e tudo aquilo que eu pensava de você. E quem acompanhou seu crescimento, sabia muito bem de você. Pode-se dizer que sua madrinha queria nosso bem e percebeu meu nervosismo de te expor pro mundo.

Mas o importante é que você veio, cumpriu sua missão e eu estou feliz. E mais feliz porque sei exatamente onde errei e sei que isso não faz de mim melhor ou pior mãe, criadora...

E que muito outros já foram e virão e cada um é especial e único. Como você, meu querido TFG!

terça-feira, 21 de julho de 2009

notas esquecidas lembradas

Esse final de semana fui pra Dores do Indaiá pra 44ª Expodores. Esse post eu ia falar sobre lá, mas resolvi mudar de rumo.

Estava limpando as mensagens do meu celular e vi nos rascunhos um nome. Eu tenho mania de anotar coisas que acho bacana no celular pra pesquisar mais e depois não saber do que se trata mais. Ainda bem que o google é muito espertinho e me conta as coisas. A bola da vez era Robert Polidori. O google me lembrou que ele é um fotógrafo que gosta de cenários pós destruição. Não lembro mais onde eu vi dele, mas eram umas fotos de New Orleans pós Katrina. Ele tá com uma exposição no Rio, eu acho. Descobri também que ele tem muitas fotos de arquitetura e me apaixonei mais ainda. Aí a wikipedia me disse (eu sei que ela não é lá muito confiável) que ele falou isso:

When images are soft, they just remain evocative, or in your imagination. You get a mood, and it remains on the emotional level. The viewer has to put more of him or herself into it. When there is more detail, it’s like that old expression: There’s no fiction stranger than reality. Reality will compose the most extreme paradoxes and contradictions and adjacencies, which can’t be understood.

Adorei.

A última foto é em New Orleans.

A galeria é aqui. Explore-a usando as setinhas no menu à direita.

segunda-feira, 20 de julho de 2009

expodores

Essa é só uma prévia do próximo post:

terça-feira, 14 de julho de 2009

coisas que gosto

Porque eu adoro vídeos bonitinhos e posts-it.

segunda-feira, 13 de julho de 2009

roubos

Eu sentei aqui hoje com a vontade de roubar a idéia do blog do meu amigo Paulo Augusto. Não roubar pra sempre, mas hoje eu ia escrever no estilo dele de "fica a dica". Aí, andando pelos blogs que tenho aí do lado na lista, resolvi roubar (na verdade me inspirar) num post que vi lá.
Vi lá o clipe do Skank da música Sutilmente. Adoro essa música. Ela é muito fofa! Aí lá vi o clipe dela e depois fui caçar no youtube o making of que, como dizem no Grampo, é imperdível mesmo.
Tá aí então o clipe e depois o making of.



segunda-feira, 29 de junho de 2009

Obra

A Obra é um inferninho aqui em BH.
Pra mim é um pedacinho do céu na Terra, o paraíso criado pelo homem, minha 2ª casa.
A música é ótima, o clima excelente, o ambiente perfeito.

Tá. Mentira. Lá é um lugar pequeno, no subsolo de um prédio, sem ventilação adequada e muito, mas muuuuito quente.

A música realmente é otima! As pessoas são umas figuras! E a dose de vodka é o copo cheio.
Sou fã e seria sócia de carteirinha se tivesse essa opção. Já teve época que eu ia lá 2x por semana e às vezes até mais. Ultimamente tenho ido menos...
Nessas épocas passadas, ia pro Studio Bar ou Lord ou Jack, de lá pra Obra e da Obra pro T-Mak comer um hot filadélfia. Quer coisa melhor? Siiiiim! Melhor era a companhia que agora está explorando inferninhos em Paris.

Enquanto isso eu vou indo na Obra e comendo temaki aqui e esperando meu companheiro de toda hora voltar!

E agora, eu vou fazendo TFG, ouvindo rock britânico e bebendo energético. Só faltou o calor e tá sobrando trabalho!

Uma música em homenagem:

domingo, 28 de junho de 2009

Reta Final!

Gás no TFG ao som de:

- MGMT
- FRANZ FERDINAND
- THE STROKES
- ARCTIC MONKEYS
- JET
- THE KOOKS
- THE KILLERS

Sonhando com a Obra e lembrando o Opera.

sábado, 27 de junho de 2009

Ladybug

Hoje meu dia foi ótimo. Apesar do frio na barriga que está aumentando por conta da proximidade da formatura real, meu dia foi muito bom! Começando com a orientação da estrutura do meu projeto que tem um balanço de 17m. Só agora, 5 dias antes da entrega final, fui orientar. Mas pra minha grande felicidade, e eu realmente fiquei muito satisfeita, isso dá pra fazer! E tudo mais que eu tinha "calculado" estruturalmente funciona. E ainda vai ficar lindo na fachada. Depois coloco imagens aqui.

Saindo da orientação, passei pela minha área de intervenção: a avenida Bernardo Monteiro. Hoje é sexta-feira e tem feira das flores lá. Uma sexta de manhã, numa rua lotada de gente e carros, encontrei alegria e paz em ver muitas flores bonitas, velhinhas passeando, pessoas felizes, e pra completar tudo, um dos principais motivos d'eu ter escolhido a área pro meu TFG: as árvores maravilhosas dos últimos (ou primeiros, depende do referencial) quarteirões da avenida.

Já estava com uma energia ótima! Chegando em casa pro almoço meu pai me pediu pra ir as SUS à tarde. O SUS fica lá perto também.
Fui levando folhas e folhas pra não perder tempo na fila e ir investindo no TFG. Saindo de lá, dei mais uma volta pela Bernardo Monteiro. E mais uma vez, foi revigorante!

Agora, a real inspiração do post.
Voltando pra casa, já inserida no caos urbano novamente, dentro do carro, com trânsito e pessoas sem educação dirigindo por todos os lados (isso também me dá vontade de fazer um post especial), vi no parabrisa um "respiro". Mais ou menos o que pretendo com meu projeto de TFG: um respiro no meio do caos (isso também dá outro post).

Estava lá, andando zuretinha, de um lado ao outro do vidro em completa extensão, uma pequetita mini joaninha. Joaninhas são fofas por si só. E dizem que traz ou que é sinal de sorte. Eu estava me sentindo bem sortuda já. Fiquei namorando ela no seu longo percurso e até tentei tirar foto com o celular, mas obviamente não saiu nada. Fiquei imaginando como ela chegou lá e a hipótese que mais gostei foi que ela chegou lá agarrada no meu cabelo.

E pra completar, ela era branca de bolinhas pretas!!! GALO LÍDER!

Bom, procurei fotos na internet pra ver se eu achava algum parente dela pra mostrar pra vocês. Achei um parente distante. A minha amiga tinha mais bolinhas, menores e uniformemente distribuídas, além de ser mais clarinha. Aí vai a foto do parente distante e uma outra das árvores MA-RA-VI-LHO-SAS da Bernardo Monteiro.

domingo, 21 de junho de 2009

if it's not for you, it's not for you

Meu amigo gigante, dono de 132% do meu amor e que agora está perambulando pelas ruas parisienses e fala fazendo biquinho é o Deds. Lá em Paris tá também meu outro amigo ogro, o Marcão, que essa semana não me saiu da cabeça porque eu ouvi um "meermaaaão" na tv outro dia bem do jeito que ele fala. E o que gosto é que mesmo eles estando longe, estão sempre por perto. Ora dando conselhos, puxando a orelha, ficando com ciúmes, tirando satisfação da minha vida, me desejando coisas boas, mandando músicas, enfim, sendo meus amigos. E cada vez que falo deles, vem uma paz, uma alegria no coração. Um amor mesmo. E agora, sinto a falta deles pra me ver virar arquiteta formada! Mas eles ainda vão me aturar muito tempo nessa vida com certeza absoluta!

Outro amigo meu que também está em terras francesas, companheiro de viagens, saídas, butecos, Opera e até obra (onde ele começou a namorar uma amiga minha) é o Kelly Bolha! Um cara bacana que sempre alegrava a todos com seus comentários pertinentes e sua alegria de viver! Lá no escritório ele tinha um cactus e deixou sob minha responsabilidade quando foi pra Paris. O cactus ficou muito triste, sentindo muito a falta do Kelly, e resolveu pular da janela do banheiro e cair dentro do balde de limpeza, suicidando-se. Quero deixar claro que não fui eu quem colocou ele na janela do banheiro pra "tomar um ar", ou melhor, um vento.

Nós juntos éramos, ou melhor, SOMOS a Equipe Amor! Viagens, encontros de arquitetura, cervejas no cold mary, bandinhas no jack, lord e afins, idas à Pará de Minas, etc., marcaram nossa grande e infindável jornada como equipe.

No meu aniversário, juntaram os 3 e me fizeram uma surpresa que eu simplesmente amei. Só não amei mais porque minha vontade era de estar lá do lado bebendo a cerveja com eles e falando merda como outrora. E definitivamente, eu vi pelo vídeo, que bigode é só pra quem pode e pra quem tem atitude! E falando em bigode, lembro do vocalista do The Killers que é um charme só.

E abaixo seguem:

- meu vídeo de aniversário

- uma música do The Killers que toca direto lá no Opera, onde eu trabalho, o Kelly trabalhava comigo e o Deds fez história

- if it's not for you, it's not for you.




quinta-feira, 18 de junho de 2009

38

corpo quente, depois frio. corpo mole, depois tenso. corpo dolorido, depois sono.
odeio febre.

segunda-feira, 15 de junho de 2009

minha cabeça de leite condensado com canela em pó

Fiz um twitter pra mim há um tempo. Mais precisamente há 15 dias. No início não entendia muito bem o propósito de ter um. Depois de me explicarem, me rendi. Fui aos poucos abandonando meu twitter apesar de pensar muito nele. Sempre que acontece alguma coisa comigo penso: nossa! se meu celular tivesse internet ia colocar isso no twitter agora! Mas aí o momento passa, eu chego em casa e às vezes nem lembro o que era ou se lembro não tenho mais vontade de postar. Isso acontece com o blog também. Já tem uns dias que planejo escrever sobre meu twitter aqui, mas fui adiando. Andei com preguiça esses dias de expor minha cabeça por aqui e por lá. Mas aí voltei. Com um propósito de mudança. Tardia, eu sei... mas antes tarde do que nunca. Sempre tive objetivos na vida, e sempre atingi eles de uma forma ou de outra. Sempre fui também muito otimista e habitante do meu próprio conto-de-fadas em que sei que tudo acaba bem, mesmo que alguma coisa me diz que pode não ser bem assim e eu levar umas rasteiras por aí. Já levei rasteiras, mas aí levanto e vou andando mesmo assim.
.
Esse final de semana conversando com um grande amigo que sempre foi amigo, conhecido, companhia, mas que atualmente anda habitando muitos papos-cabeça e confissões de filosofias de vida (o que de certa forma aproximou a gente bem mais e me fez ver o quanto ele é faca!) vi que eu posso ter medo. Que não querer ter medo e acabar por vezes fugindo e afastando, só piora meus conflitos internos e minha síndrome de querer ser sempre filha. Vou ser sempre filha, mas independente disso, posso ter medo da vida. E do mesmo jeito posso ter muita coragem. E nesse mix de sentimentos, a vida vai fluindo. E pra quem fica parado, ela não acontece.
.
E hoje, segunda-feira dia 15 de junho, vou mudar minha atitude perante a minha vida. Vou começar fazendo o que há tempos não faço. Acordar e tomar café-da-manhã. Sempre saí de casa 10min antes dos meus compromissos pela manhã (seja qual for) sem comer nada. E quando não tinha compromisso, acordava tarde, pro almoço. Ou pra tomar um banho antes do almoço. Mas a partir de amanhã, apesar do frio congelante que está fazendo e do sono constante que tenho, vou acordar cedo, tomar café, trabalhar em casa e depois ir cumprir minha rotina de segunda-feira. Nova rotina.

quarta-feira, 10 de junho de 2009

segunda-feira, 8 de junho de 2009

ligando as coisas

e sorrio.

porque tem o amanhã. e tem o depois do amanhã.
porque às vezes eu escolho sorrir.
e noutras escolho chorar.



roubei.


adoro sorrisos. mas uma coisa que não bate com meu santo são sorrisos forçados. os não naturais, pra fazer pose. uma gargalhada mascarada. não bate. vejo, analiso, as vezes até quase entendo, mas não bate. espontaneidade forçada. bem paradoxal mesmo. Mas a vida é recheada desses paradoxos.

Sorriso é expressão de felicidade. E é bom porque consegue-se perceber mesmo que você não veja a pessoa. Na voz ao telefone, no email escrito com carinho, num post em algum blog, na música compartilhada no youtube.



todo mundo analisa as pessoas e julgam. acredito que é natural mesmo do ser humano e da convivência em sociedade. eu analiso mesmo. e julgo mesmo. e erro mesmo.
e o tanto que é bom se surpreender com alguém é tão maior do que o tanto que é ruim se decepcionar.


mudando de direção,

quando fazia terapia, minha terapeuta seguia uma linha (que eu esqueci o nome) que era entender a forma que você reage a situações e se re-educar para o pensamento positivo ao invés do negativo imediato que as pessoas (eu pelo menos) estão (estava) acostumadas a ter de cara. Basicamente, quando alguma coisa me irritava ou chateava, eu aprendi a parar pra pensar antes de assumir uma raiva ou tristeza maior que a situação pedia. Analisava os motivos que me irritaram e via se eles eram realmente relevantes praquela coisa tomar conta de mim. Outro dia esqueci momentaneamente de fazer isso. Aí uma coisa me chateou, na hora fiz pose de durona, achando que eu consigo enganar a mim mesma. Obviamente percebi que não estava enganando nem a mim mesma, a única pessoa por dentro da situação. E percebi o tanto que eu estava sendo ridícula. Aí assumi minha posição de pensamento negativo imediato e fiquei chateada/triste/com raiva/emburrada com a coisa. Desejei que as agissem como que queria que elas agissem. Fui até egoísta porque com certeza eu não faria o que esperava que o outro fizesse. Passou um tempo (muito tempo até, talvez um dia) e eu percebi o tanto que eu estava sendo ridícula.
Desencanei. Passou, passou... De repente, não mais que de repente, fui surpreendida positivamente e o que eu queria aconteceu. E eu sorri. Por dentro e por fora. E depois chorei. E sorri de novo.

sábado, 6 de junho de 2009

desejos

Quero beijar olhos fechados...

sexta-feira, 5 de junho de 2009

minhas pessoas imaginárias

Tenho várias pessoas imaginárias. Bem, elas são reais, mas minha relação com elas é imaginária. Não se trata de amores platônicos. Eu diria que são amizades platônicas. Através da exposição que os blogs, orkuts, fotologs e afins proporcionam, eu conheço pessoas virtuais tão bem quanto algumas que convivo. E elas muitas vezes não sabem que eu existo. Pode parecer meio psicopata, mas é uma psicopatia do bem. Aprendo muito com essas pessoas. Músicas novas, lugares bacanas, dicas... E acho engraçado quando ouço uma música que me lembra alguém que não me conhece. Aí fico pensando: gente... essa pessoa marcou uma fase da minha vida, me ensinou a gostar de Norah Jones, me divertiu com o blog... e eu nem agradeço! Então, por motivo que não sei qual, não me revelarei aos meus amigos imaginários virtuais fazendo qualquer tipo de contato. Agradeço aqui, mesmo que eles não saibam.

quinta-feira, 4 de junho de 2009

little girl

com uma música dessas e um estilo desses, eles com certeza são pessoas bacanas de se conhecer.




a vida sabe dela

Tudo tem uma razão de ser. Isso, assim, bem clichê. Mas realmente, as coisas acontecem por motivos que só depois vamos entender. Por mais que no momento que aconteçam a gente se pergunte o porquê de ser assim, mais ali na frente vem a vida e nos mostra exatamente porque tinha de acontecer desse jeito e não daquele. E aí tudo se encaixa e a gente vê o que nosso inconsciente já sabia mas estava esperando a melhor hora pra revelar. E muitas vezes quando nos damos conta, a resposta era óbvia, e estava ali bem na nossa frente. O pior cego é aquele que não quer ver. Eu vejo, mesmo que as vezes tardiamente. Mas, antes tarde do que nunca...

música para dias frios

e agora, uma música que amanheceu na minha cabeça.
bem esse vídeo mesmo:


terça-feira, 2 de junho de 2009

um cheiro

Algumas pessoas já compartilharam comigo uma memória de cheiros. Eu não sabia que tinha isso até um tempo atrás. E acho ótimo me deparar com cheiros que me trazem momentos bons e pessoas associados.

O creme de cabelo e sundow que me levam pra praia; o creme de baunilha que me lembra viagem, pessoas, irmã, amiga; o splash Love Spell que me deixa nessa fase que estou mas também me leva pro início da faculdade e pra casa da madrinha; o Ckone que também me leva lá no inicinho da faculdade e me lembra a amiga do Loyola; o Polo que aprendi a gostar com minha irmã e hoje me coloca do ladinho da amiga-prima; o cheiro de roupa limpa que me leva aos 17 anos; o perfume verdinho que vovó usava às vezes; a lavanda que mamãe jogava no colchão; o cheiro do mcdonalds (que é praticamente universal); o perfume do frio de albany; a citronela do sítio... enfim. Cheiros que me levam e me trazem dentro de mim mesma!

E sempre achei de uma meiguiçe e um amor o jeitinho do nordestino mandar beijo através do cheiro. "Um cheiro em você".

Talvez esse post foi inspirado num cd que baixei e chama "Cangote". Ainda não ouvi. Mas só de nome já gostei.
Um cheiro no cangote! Melhor que isso, só com carinho nas costas.

sábado, 30 de maio de 2009

compras

Há um tempo sou responsável pelo supermercado da casa. Uma tarefa chata, cansativa, mas que tem que ser feita. Às vezes até me divirto. Quando já estou lá não acho de todo mal. Mas a preguiça... Sair de casa, pegar o carro, chegar no supermercado, pegar o carrinho, encher, tirar as compras, passar no caixa, colocar no carrinho de novo, tirar do carrinho de novo, colocar no carro, chegar em casa, tirar do carro, colocar no carrinho mais uma vez, pegar o elevador, tirar do carrinho mais uma vez, colocar nos armários, descer com o carrinho de volta pra garagem.... cansa! E como! Mas enfim...

Hoje foi dia. Chegando em casa com as compras, minha irmã me ajudou no processo de guardar as compras.

- Ana, o papel higiênico você colocou aqui na cozinha com algum propósito específico?
- Ah!!! Achei que era papel toalha...

Na hora foi bem mais engraçado que escrevendo aqui. Pode ter certeza!

quarta-feira, 27 de maio de 2009

terça-feira, 26 de maio de 2009

entre fatos e fotos

Ontem achei também essa foto da minha mãe, tirada pelo meu pai. Ele sempre foi fotógrafo. Tinha máquinas fotográficas especiais e fazia ele próprio revelações e ampliações. Todos já foram modelos pra ele. Em caixas e mais caixas, fotos dos meus primos (que hoje já são pais) quando crianças, das primas debutantes, das filhas em todas as fases. E em tantas caixas, pequenos fragmentos de histórias e memórias. E em tantos fatos, ela está na maioria. Minha mãe. Linda, jovem, apaixonada de um lado. E do outro, meu pai. Lindo, jovem, apaixonado, fotógrafo. Ainda hoje estão lindos e apaixonados. Não mais fotógrafo, não mais tão jovens.

domingo, 24 de maio de 2009

o que eu gosto II

continuando o que eu gosto...
Ver fotos. Principalmente antigas. Fotos dos meus pais quando tinham a minha idade, da minha vó quando era criança, das minha irmãs quando eu nem existia, de mim... Enfim, fotos! Fotos bonitas de saber o contexto, bonitas de se ver, bonitas por si só.
Escaneando coisas pro tfg, achei na pasta de digitalizações uma porção dessas fotos e fiquei namorando...
Namorando a elegância das minhas tias com cabelos escovados a la "charlie's angels", as roupas brilhosas, o charme do papai de cabelos grandes e da mamãe casando de turbante, a simplicidade do vestido da noiva, a moda das calças boca-de-sino com plataforma, os cabelinhos de cuia das crianças, o sapatinho boneca com meia branca até o joelho, a seriedade do vovô, a alegria do papai e da mamãe casando tão jovens, enfim, a família linda que eu tenho!

sexta-feira, 22 de maio de 2009

o que eu gosto

Apesar de muitas vezes ter preguiça do cad, eu A-D-O-R-O arrumar arquivos bagunçados. Perderia horas "perpendiculando" as linhas que estão milimetricamente desalinhadas, ajeitando medidas com 3 casas decimais, acabando com layers semelhantes (tipo 2, 02, p02, arq02...) e depois de fazer todo o desenho ficar retinho, com 1 layer 02 e medidas redondas, dou um super purge. Várias vezes até!

o que eu quero

mergulhar de cabeça sem molhar os pés pra sentir a água

quinta-feira, 21 de maio de 2009

ponto de vista

"Há coisas que a gente não nota porque são muito pequenas para serem vistas. Mas há outras que a gente não vê porque são imensas."

Lido aqui.

quarta-feira, 20 de maio de 2009

o que não gosto - II e meio

Ou: variações do mesmo tema "o que não gosto"
Não gosto de falar sozinha com os outros. Na verdade, não gosto que os outros sejam momentaneamente surdos. Principalmente quando a surdez é seletiva e consciente.
Mas mudez seletiva e consciente aprendi a valorizar! Talvez porque preciso de trabalhar isso em mim (essa última frase, em homenagem à minha mãe. ela fala bem assim). Aprender a ficar quieto é bom. Mas as vezes, mesmo quando não precisamos, escolhemos nos calar. Da personalidade mesmo. Não porque não valeria a pena falar, mas simplesmente porque não é.



esse post tem destino certo. e não é único.

variações do mesmo tema

Acho o outro que coloquei aqui há um tempo mais legal.
Tenho que ir pra Europa. Só lá acontecem essas coisas. Sonho de estar no metrô nessas horas bacanas.

segunda-feira, 18 de maio de 2009

o que não gosto II

Distorcer as coisas.
Odeio quem distorce um fato.

o que não gosto

Falar sozinha.
Odeio.
Na verdade, até falo sozinha. Mas eu não gosto quando falo sozinha com alguém, entende?! Falar sozinha comigo mesma é ótimo. Tenho mania de fazer isso enquanto dirijo. E não é pensar não, é conversar mesmo. Mas conversar sozinha com os outros é péssimo. Irrita. Angustia.

memórias de criança

Ainda não sei direito o motivo exato de colocar essas fotos de quando criança aqui. Obviamente pra compartilhar, mas no fundo tem algum motivo que vou descobrindo. Talvez seja um desejo de, no fundo no fundo, voltar a ser criança. Uma saudade de ter que acordar pra ver desenho ou brincar. Ir pra escolinha com o lanche do dia separado na merendeira e o tênis vermelhinho apelidado de Cascão. Chegar da aula e correr pra área de serviço pra tirar a praia que levava no pé depois do dia. Tomar o leite com nescau e muito (mas muito) açucar. Bem doce. Melado. E quando tinha queijo provolone era ótimo o contraste do doce do leite e o salgado do queijo.
Mas se parar pra pensar bem, continuava tendo minhas dificuldades e complicações de criança. Hoje, é a não vontade de fazer o tfg. Na época, era a dificuldade com os para-casas (há quanto tempo não via ou escrevia essa palavra antigamente tão corriqueira!). As manhãs eram bem mais divertidas vendo tv e depois indo pro clube. Lembro como se fosse ontem das minhas neuras com minhas pernas finas e com os meninos da escola que me enchiam a paciência. Na hora do recreio certa vez, um deles quase me enforcou. Tinha uma "brincadeira" de perseguição. Meninas perseguiam meninos e depois trocava. Não era pega-pega. Era um pouco diferente. Mas não esqueço o dia que um menino pegou uma corda, daquelas todas esfarrapadas, e tentava laçar as meninas. Fui laçada bem no meio da minha corrida. Obviamente, caí. E a corda marcou meu pescoço. Vi que aquela brincadeira já não era mais pra mim. Com o pescoço ralado, lágrima nos olhos e raiva no peito, parei de brincar. A vontade era de socar o menino joselito sem-noção. Mas deixei quieto, fui no banheiro, passei água no ralado e pronto. Depois, não brinquei mais.
E o machucado sarou. Assim como a neura da perna fina que passou, os para-casas que foram feitos, o leite que não continuou doce e o Cascão que foi lavado.